home /

ARTIGOS

Permita-se

Por: Adriano Afonso - 02/10/2014
artigo
É interessante e de extrema importância parar um instante e olhar para trás nossa trajetória, ou ao menos buscar os momentos mais importantes e expressivos que passamos para chegar até aqui, agora. 
 
Diante das circunstâncias, eu vejo que olhar para si mesmo é um dos passos mais importantes para estar de bem com a vida e de bem com os outros. Pois diante disso, devemos entender bem o nosso papel na vida que inclui onde você está inserido, diante da família, do trabalho, ou em qualquer outro ambiente que se tenha uma interação.
 
Isso de certa forma é um privilégio que nós seres humanos possuímos, que é a capacidade de raciocinar, o que implica estar alinhado com o nosso interior, sendo possível trazer conclusões satisfatórias para a nossa vida.  
 
Recordo-me de uma das maravilhosas aulas com meu professor em que no final ele nos disse que devemos nos permitir errar, assim como permitir-se ser corrigido e permitir-se aprender. Pois isso a meu ver é para poucas pessoas, nem todos nós estamos preparados para tal reconhecimento em nossas vidas. Simplesmente existem pessoas que são incapazes de olhar para si como algo imperfeito, parar e escutar o que o outro tem para lhe dizer, estes geralmente à vida castiga de uma forma severa e triste. 
 
Tal reconhecimento não é um processo simples que conseguimos conquistar durante um dia, a meu ver é algo que está intrinsecamente ligado ao caminho de cada um, e o quanto cada coisa e pessoa têm de valor em sua vida. 
 
Assim como existem aqueles que necessitam ser auxiliados, ajudados, e reconhecem que necessitam de tal ajuda. A partir daí buscam se alinhar a um pensamento, a uma filosofia, a uma escola, a um professor, a um mestre buscando construir algo maior, algo satisfatório, e principalmente algo correto para sua vida. O que implica estar sujeito a desconstrução dos maus hábitos, dos vícios, da ignorância!
 
Devemos ter a capacidade de olhar o outro e enxergá-lo como ele é, o que da forma que eu vejo significar respeitar. E o respeito muitas vezes está alinhado com saber o papel de cada um em cada lugar e momento. Por exemplo, não cabe a minha pessoa buscar tomar atitudes de um pai quando eu estou diante do meu irmão mais velho, a minha atitude deve estar alinhada com a de um irmão não podendo inverter os papéis, ou seja, como o ditado popular nos ensina “Não passar a carroça na frente dos bois”.
 
A meu ver, estamos aqui nesta vida para poder aprender com tudo e com todos sem exceção, mas primeiramente precisamos aprender com nós mesmos! 
 
REFERÊNCIAS
Conversas e aulas com Shidoushi Thiago Moraes;
Conversas com Sensei Sempai Raoni Rosa;
Conversas em Família e amigos;
 
VOLTAR PARA ARTIGOS